Divulgar uma marca é fundamental para o seu desenvolvimento e sucesso, mas qual o melhor caminho? A mídia própria, paga ou espontânea, como escolher

Quando se tem uma empresa/marca online e/ou off-line, é importante e necessário para a sobrevivência que ela seja conhecida e reconhecido em seu mercado de atuação, para assim conquistar clientes e se desenvolver.

Quando trata-se do ambiente online para a divulgação dessa marca surgem três mídias que se diferem, mas que se trabalhadas conjuntamente, fortalecem a marca e a torna visível e acessível ao seu público.

São essas as mídias: própria, paga e espontânea. Saber como cada uma delas funciona, possibilita direcionar os esforços da marca para alcançar seus reais objetivos: leads. Vamos entender como é cada uma delas.

A mídia própria como o nome sugere, é aquela em que a marca tem total controle, por exemplo, site/blog da empresa. Nelas, a marca vai dizer exatamente o que deseja ao seu público, suas informações de contato, seu posicionamento, sua missão, visão, valores.

Além disso é possível criar conteúdo para engajar os leitores dessas páginas. Conteúdo que aproxime o leitor, que faça com que ele deseje voltar para conferir novas postagens.

Usar essa mídia para dar dicas sobre o produto ou serviço que a marca oferece, aproxima o leitor criando um relacionamento duradouro, quando esse trabalho é bem executado pode tornar esse lead um lovemark, então pense bem na importância do que você diz, no tom que diz, e claro, para quem diz.

A mídia paga também traz no nome indícios do seu significado. Ela é a mídia que você paga literalmente para expor a marca em maior escala. Existem diversas mídias que oferecem esses serviços, mas antes de escolher onde investir, é importante conhecer seu público para não desperdiçar esforços e verba.

A mídia digital paga é flexível, pois possibilita a adaptação de valor que será investido (em regra é bem mais acessível do que as mídias tradicionais), determinar o tempo em que seus anúncios serão veiculados, segmentar esses anúncios para um público específico e que de fato possa ter interesse em sua marca.

As mídias pagas mais usadas são o Google Adwords (compra de palavras chave), anúncios no Facebook, Instagram, YouTube, entre outros.

Já as mídias espontâneas são as mais valorizadas, pois acontecem quando a empresa não necessariamente emprega esforço intelectual ou financeira para que a divulgação ocorra. É também conhecida como a divulgação boca a boca, quando alguém conhece/usa a marca e conta para os seus contatos que gosta e porque gosta.

Quando youtubers/blogueiros e influenciadores digitais com considerável número de inscritos/seguidores, se dispõe a endossar uma marca (sem estar recebendo pra isso), aumenta a visibilidade e o interesse pela marca.

Ou seja, a mídia espontânea não depende tanto dos esforços da empresa, mas da sociedade, dos usuários, das pessoas que gostam e se propõem a divulga-la sem esperar “nada em troca”.

Na hora de escolher em qual mídia investir a dica é: invista nas três, criando e mantendo um bom relacionamento com o seu público na mídia própria, nas redes sociais (de atenção ao seus seguidores), e sempre que possível, incentive a divulgação espontânea, mas sem pressão, o interessante é criar o desejo de divulgar.

Quando as três mídias trabalham em conjunto articuladamente, o sucesso pode estar há um click.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *